terça-feira, 26 de julho de 2011

Todos os sentidos.

Hoje recebemos a tarefa mais interessante do curso. O tema era um livro que conta de um garoto que, no dia do aniversário de 14 anos, decide que quer como presente três dias e duas noites sozinho em Munique. Os pais não deixam, mas ele vai mesmo assim. Com cinquenta euros no bolso, ele sai pela cidade sozinho, e o livro reune a paisagem de Munique muito bem descrita e a narração de um romance inusitado, entre este menino e uma menina cega que ele conhece na estação de metrô.
Nós saímos pela cidade em grupos de quatro, com 10 euros no bolso e uma missão: descrever, detalhadamente, tudo que nossos órgãos dos sentidos nos diziam. Os sons, os cheiros, os gostos, as imagens... E, quando possivel, fazer relação com alguma passagem do livro.
Foi mega divertido, e nossa apresentação foi a mais divertida de todas. Incluindo a encenação da nossa visita a uma loja de produtos ortopédicos, onde o Anthony interpretou um banco que chacoalhava (e eu sentada em cima dele), além da cena do restaurante onde almoçamos, onde o Anthony interpretou a mesa bamba que escolhemos para almoçar, e eu interpretei o garçon que usou um descanso de cerveja para fazer a mesa parar de balançar.
Na frente de uma igreja, vimos uma professora de alemão com um grupo de estrangeiros. A professora parou, virou pra eles e perguntou "e como se diz isso em alemão?", e os alunos, meio incertos, responderam "Kirche", e então todos seguiram adiante.
Tudo muito bem percebido e anotado, no final do dia estávamos todos muito bem treinados a perceber todos os aspectos de Munique, em todos os sentidos. =)

München, 22/07/11


Instruções para realizar a próxima tarefa.


Tarefa: Observar atentamente tudo ao redor.

Fazendo anotações durante o almoço.

Apresentar nossas observações.

Nossa apresentação.

Observação mais interessante do dia. Acreditem ou não. Este homem tem nas mãos nada menos que... um livro.

Um comentário:

Luiza Duarte Leão disse...

Sim, um mendigo com um livro é, definitivamente, uma das coisas mais inusitadas que se pode encontrar! Enquanto isso, nossos universitários lêem dois livros por ano. :(